Escala de Traços Autísticos


I. DIFICULDADE NA INTERAÇÃO SOCIAL – O desvio da sociabilidade pode oscilar entre formas leves como, por exemplo, um certo negativismo e a não aceitação do contato ocular, até formas mais graves, até formas mais graves como um intenso isolamento – 1. Não sorri; 2. Ausência de aproximações espontâneas; 3. Não busca companhia; 4. Busca constantemente seu cantinho (esconderijo); 5. Evita pessoas; 6. É incapaz de manter um intercâmbio social; 7. Isolamento intenso.

II. MANIPULAÇÃO DO AMBIENTE – O problema da manipulação do ambiente pode apresentar-se a nível mais ou menos grave, como por exemplo, não responder às solicitações e manter-se indiferente ao ambiente. O fato mais comum é a manifestação brusca de crises de birra passageira, risos incontroláveis, e sem motivo, tudo isso com o fim de conseguir ser o centro das atenções. – 1. Não responde às solicitações; 2. Mudança repentina de humor; 3. Mantém-se indiferente, sem expressão; 4. Risos compulsivos; 5. Birra e raiva passageira; 6. Excitação motora ou verbal (ir de um lugar ao outro, falar sem parar).

III. UTILIZAÇÃO DAS PESSOAS AO SEU REDOR – A relação que mantém com o adulto quase nunca é interativa, dado que normalmente se utiliza do adulto como o meio para conseguir o que deseja. 1. Utiliza-se do adulto como um objeto, levando-o até aquilo que ele deseja; 2. O adulto lhe serve como apoio para conseguir o que deseja (p.ex: utiliza o adulto como apoio para pegar bolacha); 3. O adulto é o meio para suprir sua necessidade que não consegue fazer só (p.ex: amarrar sapatos); 4. Se o adulto não responde as suas demandas, atua interferindo na conduta desse adulto.

IV. RESISTÊNCIA À MUDANÇA – A resistência à mudança pode variar da irritabilidade até a franca recusa. – 1. Insistente em manter a rotina; 2. Grande dificuldade em aceitar fatos que alteram a sua rotina, tais como mudança de lugar, de vestuário e na alimentação; 3. Apresenta resistência à mudanças, persistindo na mesma resposta ou atividade.

V. BUSCA DE UMA ORDEM RÍGIDA – Manifesta tendência a ordenar tudo, podendo chegar a uma conduta de ordem obsessiva, sem a qual não consegue desenvolver nenhuma atividade. – 1. Ordenação dos objetos de acordo com critérios próprios e pré-estabelecidos; 2. Prende-se a uma ordenação espacial (Cada coisa sempre em seu lugar); 3. Prende-se a uma sequência temporal (Cada coisa em seu tempo); Prende-se a uma correspondência pessoa –lugar (Cada pessoa sempre no lugar determinado).

VI. FALTA DE CONTATO VISUAL. OLHAR INDEFINIDO – A falta de contato pode variar desde um olhar estranho até o constante evitar dos estímulos visuais. – 1. Desvia os olhares diretos, não olhando nos olhos; 2. Volta a cabeça ou o olhar quando é chamado (Olhar para fora); 3. Expressão do olhar vazio e sem vida; 4. Quando segue os estímulos com os olhos, somente o faz de maneira intermitente; 5. Fixa os objetos com uma olhada periférica, e não central; 6. Dá a sensação de que não olha.

VII. MÍMICA INEXPRESSIVA – A inexpressividade mímica revela a carência da comunicação não verbal. Pode apresentar desde uma certa expressividade até uma ausência total de resposta. – 1. Se fala, não utiliza a expressão facial, gestual ou vocal com a freqüência esperada; 2. Não mostra uma reação antecipatória; 3. Não expressa através da mímica ou olhar aquilo que quer ou que sente; 4. Imobilidade facial.

VIII. DISTÚRBIOS DE SONO – Quando pequeno dorme muitas horas e, quando maior dorme poucas horas, se comparado ao padrão esperado para a idade. Esta conduta pode ser constante ou não. – 1. Não quer ir dormir; 2. Levanta-se muito cedo; 3. Sono irregular (em intervalos); 4. Troca o dia pela noite; 5. Dorme muito poucas horas.

IX. ALTERAÇÃO NA ALIMENTAÇÃO – Pode ser quantitativa e/ou qualitativa. Pode incluir situações, desde aquela em que a criança deixa de se alimentar até aquela em que se opõe ativamente. – 1. Seletividade alimentar rígida (ex.: come o mesmo tipo de alimento sempre); 2. Come outras coisas além de alimentos (papel, insetos); 3. Quando pequeno não mastigava; 4. Apresenta uma atividade ruminante; 5. Vômitos; 6. Come grosseiramente, esparrama a comida ou a atira; 7. Rituais (esfarela alimentos antes da ingestão); 8. Ausência do paladar (Falta de sensibilidade gustativa).

X. DIFICULDADE NO CONTROLE DOS ESFÍNCTERES – O controle dos esfíncteres pode existir, porém sua utilização ode ser uma forma de manipular ou chamar a atenção do adulto. – 1. Medo de sentar-se no vaso sanitário; 2. Utiliza os esfíncteres para manipular o adulto; 3. Utiliza os esfíncteres como estimulação corporal, para obtenção de prazer; 4. Tem controle diurno, mas o noturno é tardio ou ausente.

XI. EXPLORAÇÃO DOS OBJETOS (APALPAR, CHUPAR) – Analisa os objetos sensorialmente, requisitando mais os outros órgãos dos sentidos em detrimento da visão, porém sem uma finalidade específica. – 1. Morde e engole objetos não alimentares; 2. Chupa e coloca as coisas na boca; 3. Cheira tudo; 4. Apalpa tudo. Examina as superfícies com os dedos de maneira minuciosa.

XII. USO INAPROPRIADO DOS OBJETOS – Não utiliza os objetos de modo funcional, mas sim de uma forma bizarra. – 1. Ignora os objetos ou mostra um interesse momentâneo; 2. Pega, golpeia, ou simplesmente os atira no chão; 3. Conduta atípica com os objetos (segura indiferentemente nas mãos ou gira); 4. Carrega insistentemente consigo determinado objeto; 5. Interessa-se apenas por uma parte do objeto ou do brinquedo; 6. Coleciona objetos estranhos; 7. Utiliza os objetos de forma particular e inadequada.

XIII. FALTA DE ATENÇÃO – Dificuldades na fixação e concentração. Às vezes fixa a atenção em suas próprias produções sonoras ou motoras, dando a sensação de que se encontra ausente. – 1. Quando realiza uma atividade, fixa a atenção por curto espaço de tempo ou é incapaz de fixá-la; 2. Age como se fosse surdo; 3. Tempo de latência de resposta aumentado; 4. Entende as instruções com dificuldade (quando não lhe interessa, não as entende). 5. Resposta retardada; 6. Muitas vezes dá a sensação de ausência.

XIV. AUSÊNCIA DE INTERESSE PELA APRENDIZAGEM – Não tem nenhum interesse por aprender, buscando soluções nos demais. Aprender representa um esforço de atenção e intercâmbio pessoal, é uma ruptura em sua rotina. – 1. Não quer aprender; 2. Se cansa muito depressa, ainda que em atividade que goste; 3. Esquece rapidamente; 4. Insiste em ser ajudado, ainda que saiba fazer; 5. Insiste constantemente em mudar de atividade.

XV. FALTA DE INICIATIVA – Busca constantemente a comodidade e espera que lhe dêem tudo pronto. Não realiza nenhuma atividade funcional por iniciativa própria. – 1. É incapaz de ter iniciativa própria; 2. Busca a comodidade; 3. Passividade, falta de interesse; 4. Lentidão; 5. Prefere que outro faca o trabalho para ele.

XVI. ALTERAÇÃO DE LINGUAGEM E COMUNICAÇÃO – É uma característica fundamental do autismo, que pode variar desde um atraso de linguagem até formas mais severas, como uso exclusivo de fala particular e estranha. – 1. Mutismo; 2. Estereotipias vocais; 3. Entonação incorreta; 4. Ecolalia imediata e/ou retardada; 5. Repetição de palavras ou frases que pode não ter valor comunicativo; 6. Emite sons estereotipados quando está agitado e em outras ocasiões, sem nenhuma razão aparente; 7.Não se comunica por gestos; 8. As interações com adultos não são nunca um diálogo.

XVII. NÃO MANIFESTA HABILIDADES E CONHECIMENTOS – Nunca manifesta tudo aquilo que é capaz de fazer ou agir, no que faz referência a seus conhecimentos e habilidades, dificultando a avaliação dos profissionais. – 1. Ainda que saiba fazer uma coisa, não a realiza, se não quiser; 2. Não demonstra o que sabe até que tenha uma necessidade primária ou um interesse iminentemente específico; 3. Aprende coisas, porém somente a demonstra em determinados lugares e com determinadas pessoas; 4. Às vezes surpreende por suas habilidades inesperadas.

XVIII. REAÇÕES INAPROPRIADAS ANTE A FRUSTRAÇÃO – Manifesta desde o aborrecimento à reação de cólera ante da frustração. – 1. Reações de desagrado caso seja esquecida alguma coisa; 2. Reações de desagrado caso seja interrompida alguma atividade que goste; 3. Desgosto quando os desejos e as expectativas não se cumprem; 4. Reações de birra.

XIX. NÃO ASSUME RESPONSABILIDADES – Por princípio é incapaz de fazer-se responsável, necessitando de ordens sucessivas para realizar algo. – 1. Não assume nenhuma responsabilidade, por menor que seja; 2. Para chegar a fazer alguma coisa, há que se repetir muitas vezes ou elevar o tom de voz.

XX. HIPERATIVIDADE/HIPOATIVIDADE – A criança pode apresentar desde agitação, excitação desordenada e incontrolada, até grande passividade com ausência total de resposta. Estes comportamentos não têm nenhuma finalidade – 1. A criança está constantemente em movimento; 2. Mesmo estimulada, não se move; 3. Barulhento. Da a sensação de que é obrigado a fazer ruído/ barulho; 4. Vai de um lugar ao outro sem parar; 5. Fica pulando (saltando) no mesmo lugar; 6. Não se move nunca do ligar onde está sentado.

XXI. MOVIMENTOS ESTEREOTIPADOS E REPETITIVOS – Ocorrem em situações de repouso ou atividade, com início repentino. – 1. Balanceia-se; 2. Olha e brinca com as mãos e dedos; 3. Tapa os olhos e as orelhas; 4. Dá pontapés; 5. Faz caretas e movimentos estranhos com a face; 6. Roda objetos ou sobre si mesmo; 7. Caminha na ponta dos pés ou saltando, arrasta os pés, anda fazendo movimentos estranhos; 8. Torce o corpo, mantém uma postura desequilibrada, pernas dobradas, cabeça recolhida aos pés, extensões violentas do corpo.

XXII. IGNORA O PERIGO – Expõem-se sem consciência do perigo. – 1. Não se dá conta do perigo; 2. Sobe em todos os lugares; 3. Parece insensível a dor.

XXIII. APARECIMENTO ANTES DOS 36 MESES (DSM IV)

Fonte:

ASSUMPÇÃO, F. B.; KUCZYNSKI, E.; GABRIEL, M. R.; ROCCA, C.C. Escala de Avaliação de Traços Autísticos (ATA): validade e confiabilidade de uma escala para a detecção de condutas autísticas. Arq. Neuro-Psiquiatria. São Paulo, v. 57, n. 1, 1999. Disponível em: <www.scielo.org>. Acesso em: 07 jul. 2012.